Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A Caverna do Penhasco em Mambaí-GO parte 1

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: Uma região riquíssima como todos nós conhecemos – ou não conhecemos. A ideia é fazer com que as pessoas possam abrir a mente e os olhos pra uma beleza de tão fácil acesso. A gente tem roteiros turísticos montados pra todos os gostos. E um deles é a Caverna do Penhasco. De fácil acesso e a pessoa tem um impacto, né, Maurício?

Maurício: Com certeza. É uma caverna que ao chegar você já tem um abismo, um grand canyon, na verdade. Você pode fazer uma travessia de tirolesa pros mais aventureiros que é muito incrível… passar em cima do cânion, poder olhar a caverna ao fundo… E, posteriormente, a gente entra na caverna, caminha uma parte turística, “espeleoturística” melhor falando… Nessa caminhada você vê espeleotemas, a boca da caverna que entra um raio de sol e clareia na entrada. Tem um pequeno rio que é o Córrego das Dores, você passa com água até aqui, nada de mais, só na entrada mesmo, depois água sempre na canela, caminhada obviamente de caverna, sobre blocos abatidos, que a gente fala. É tranquilo, desde que você vá logicamente com profissionais, uma empresa, um guia que possa estar te levando em segurança no mesmo. E é super bacana porque você vai entrar e vai chegar até numa parte que tem uma água, vai dar uma meditada, vai ver vários espeleotemas.

Eduardo: Algumas dicas de segurança são fundamentais. Um bom tênis, uma calça comprida.

Maurício: Isso. A gente serve os capacetes, geralmente, cabos de segurança. Até porque a gente segue padrões de normas. Geralmente tem que estar de calça mesmo e tênis ou um calçado fechado que possa segurar o pé. Nunca de sandália, papete…

Eduardo: 3, 4 horas de roteiro pra que a pessoa chegue, se acostume com aquela ideia, desfrute um pouco da caverna… é de fácil acesso.

Maurício: Realmente é uma parte acessível. Quem quiser, um mais aventureiro, pode estar contratando um guia e adentrar a caverna até sair do outro lado.

Eduardo: Qual a extensão da caverna?

Maurício: Uns 2km, por aí.

Eduardo: Interessante que aqui na região de Mambaí, Terra Ronca, existem cavernas com até 15, 16km de extensão, né?

Maurício: Muitas. Inclusive aqui a gente não visita turisticamente mas nós temos a Tarimba, que é considerada a 16 maior cavidade do Brasil. Isso porque ainda nem foi totalmente mapeada.

Eduardo: Qual a altura desse grande penhasco dessa tirolesa?

Maurício: Acho que uns cento e poucos metros o penhasco mesmo e a altura na caverna onde a gente visita é bem ampla. Aqueles que acham que vão ter fobia, alguma coisa assim de passar numa caverna, pode ficar despreocupado. E só entrar e curtir.

Outubro de 2010.