Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A exuberante Chapada Imperial e suas cachoeiras a apenas 50 km de Brasília parte 1

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

O programa de hoje é especial. Vamos mostrar a beleza da Chapada Imperial, que fica a apenas 50km da rodoviária de Brasília. Com o pé na estrada saímos pelo Eixão Norte em direção a Sobradinho. A Chapada Imperial é uma reserva ecológica particular. Tem formação bastante diversificada. Está localizada na área de proteção ambiental de Cafuringa.

A grande área tem formações rochosas e cânions em terrenos acidentados e se situam sobre rochas com mais de 1 bilhão de anos recobertas por vegetação típica dos cerrados, o segundo bioma brasileiro em extensão territorial.

A Chapada Imperial encontra-se no ponto mais alto do DF: 1.342m.

Eduardo Chauvet: Sejam bem-vindos à Chapada Imperial, um santuário ecológico, uma possibilidade de educação ambiental além, é claro, de diversão e lazer.

“O movimento tem crescido bastante”

Eduardo: Precisa estar fazendo um sol básico para o pessoal curtir à vontade, né?

“É melhor”.

Eduardo: Aqui a natureza é bastante preservada. Os animais são tratados com todo o cuidado e zelo. Essa é a entrada principal da propriedade, da Chapada Imperial. Como vocês podem ver é tudo muito bem conservado no que diz respeito à jardinagem, ao espaço em si. Aqui está o Márcio, o nosso anfitrião aqui hoje.

Márcio: Há vários anos a Chapada faz esse trabalho de preservação ambiental e ecoturismo, aonde as pessoas vêm para entrar em contato direto com a natureza, passarem o dia, admirarem os animais silvestres e conhecerem as belezas do cerrado.

Eduardo: E fugir do stress do dia-a-dia…

Márcio: Com certeza fugir do stress da cidade grande, passar um dia em paz, desestressar…

Eduardo: Você tem alguns viveiros aqui, né? Que animais você cria?

Márcio: Nós temos uma parceria junto ao Ibama. Nós recebemos constantemente animais silvestres que são apreendidos do contrabando e do tráfico de animais. E aqui na Chapada Imperial eles encontram refúgio adequado para continuarem vivendo.

Eduardo: Já logo na entrada a gente vê uma possibilidade de vendinhas, doces caseiros…

Márcio: Sim, faz parte do nosso projeto de desenvolvimento da comunidade local. Os vizinhos que produzem coisas de qualidade, nós abrimos espaço para eles comercializarem junto aos turistas. Esse museu está sendo montado justamente para que quando as escolas mandam seus alunos eles vivenciem algumas ossadas de animais silvestres. Isso é uma parceria com o pessoal da osteologia da UnB. Com o Ibama também, com animais apreendidos, gaiolas com formas de maletas… Hoje em dia o tráfico animal tem inúmeras formas de contrabandear esses animais silvestres. Então aqui eles ficam em exposição para que as pessoas conheçam e entendam que não se deve matar animal silvestre. É uma forma de conscientizar o público que nós recebemos aqui na Chapada Imperial que bicho bom é bicho livre.

Eduardo: O mal trato do animal e o tráfico rende cadeia, né?

Márcio: É um crime inafiançável e são multas pesadíssimas.

Eduardo: Vamos dar mais uma volta aqui pela Chapada Imperial.

O ARVORISMO

“Isso aí nasceu da necessidade dos pesquisadores realizarem seus estudos na copa das árvores nas florestas tropicais. Eles tinham que subir e descer das árvores algumas vezes por dia. Então para evitar ‘sobe em uma, desce, sobe na outra’, eles criaram uma ponte interligando. Depois a estrutura ficou e acabou sendo utilizada para atividade de educação ambiental e de ecoturismo. O lado do lazer se aproveitou dessa estrutura. Na confecção é utilizado cabo de aço. Para segurança é um cabo exclusivo. Aí tem o do corrimão e o do assoalho. Às vezes a gente usa corda para fazer rede, para criar os obstáculos. Existe a atividade da prática de colocar o equipamento, subir, de passar, de desfrutar das sensações e as emoções que a estrutura oferece. Tem que estar preso o tempo todo. Não é considerado esporte. É considerada uma atividade de lazer. E o potencial do arvorismo, da estrutura, pode ser explorado também para atividade de treinamento de empresa, motivacional. Então explora-se a questão do aspecto físico, o psicológico, o emocional e a questão do equilíbrio”.

Janeiro de 2010