Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A magia e a história do Sapateado parte 1

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Entrevista com a bailarina e coreógrafa Juliana Castro.

“O sapateado, na verdade, é uma dança percussiva. Isso é a definição de sapateado. Existem vários tipos de sapateado. Existe o sapateado da Espanha, que é o flamenco. Existe o sapateado na Irlanda, que é o Irlandês, Irish Dance. Existe no Brasil a catira, que são danças percussivas dançadas pelos homens, que eles tem e fazem as manobras com os pés e os palmateios.

No meu caso, o sapateado americano, ele é uma dança em que a gente… eu brinco que a gente tem sapatos musicais né, a gente vai dançando, se movimentando e vai tirando sons, ecoando os sons. A gente vai procurando timbres porque a gente não tem nota musical, a gente não tem de dó a dó, a gente não tem nada. Mas a gente tem um som mais grave, um som mais agudo, uma maneira de esfregar no chão, de ter o contato da plaqueta que é de metal no chão. Isso vai tirando timbres diferenciados que combinados formam células rítmicas.

Qual é a origem do sapateado americano? Os negros africanos estavam sendo tirados da sua cultura. Quando eles estavam sendo transportados nos navios negreiros, se eles foram tirados de tudo, imagina se eles vão poder levar os seus tambores. Então eles começaram a buscar no seu corpo e o casco do navio, que é de madeira, que faz um som maravilhoso, eles começaram a produzir sons, mas com uma ideia muito ritualística de religião. “Quanto mais som eu fizer, mais eu estarei agradando aos meus deuses”. “Mesmo longe da minha pátria eu estou com o meu elo ainda estabelecido com os meus deuses”.

Na Irlanda estava tendo a Revolução Industrial e as pessoas que trabalhavam na indústria, pra se aquecer do frio eles dançavam batendo os pés. A educação física explica. Isso faz com que a frequência cardíaca e a pressão arterial aumente, circule mais sangue e o frio passa. Só que eles começaram a se divertir com essa brincadeira e eles usavam clogs, que eram sapatos de madeira. O intuito era tirar som.

O americano, que de bobo não tem nada, começou a olhar o que estava acontecendo na Irlanda, os negões lá dançando cheio de ginga, de batida, de ritmo… Na época o que estava acontecendo nos Estados Unidos? Oscilava. Ou era Broadway ou era Hollywood. Quando um estava em ascensão, o outro estava em decadência. Eles olharam e falaram “aquilo ali é o máximo”. É como você falou, não tem que não babe ao ver uma pessoa sapateando.

Foi aí que surgiu o sapateado americano. Houve uma formatação dessas culturas. Então o sapateado americano surgiu na época dos musicais, a gente está falando na década de 20, 30. Quem tocava eram as ‘Big Bands’, o que se dançava era o ‘Charleston’. Mas é uma dança que tem uma característica divertida. A gente quer se divertir.

Junho de 2010