Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Alunos da rede pública do DF e suas experiências na UNB

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: A edição de hoje é especial em homenagem ao dia do professor, que é comemorado em 15 de outubro. O resultado de muito trabalho, dedicação e de muita luta se reflete no dia a dia da sociedade. E melhor ainda é percebermos com clareza que todo esforço vale a pena. Você vai conhecer agora a história real de 4 alunos da rede pública de ensino do Distrito Federal que passaram na Universidade de Brasília. Ao todo são muitos os alunos da rede pública que passam na UnB. Por meio da educação são exemplos de sucesso e cidadania. É a união de escolas, pais, alunos e professores que ajudam a construir um país mais justo e igualitário. A Ingrid é mais uma história de sucesso da educação pública do Distrito Federal. Ela estudou a vida inteira em uma escola pública. Você já sabia o que você queria fazer para passar na UnB?

Ingrid: No começo eu queria fazer medicina. E minha mãe sempre lá me puxando “estuda, estuda”. Aí, assim, eu fui estudando. A euforia foi enorme. “Mãe, eu passei na UnB”. Aí ela ficou em estado de choque e começou a gritar, começou a ligar pra família inteira. Ela fez uma placa enorme na frente da minha casa dizendo que eu passei na UnB.

Eduardo: Agora vai ser uma engenheira?

Ingrid: Agora uma engenheira de softwares, se Deus quiser.

Eduardo: Engenheira de softwares que estuda na UnB campus do Gama?

Ingrid: Do Gama.

Eduardo: Na sala de aula na escola pública como foi o seu aproveitamento?

Ingrid: Os meus professores sempre foram ótimos. Todos sempre me incentivaram, me apoiaram.

Eduardo: Débora Luise mora em Sobradinho, toca violino há 8 anos, saiu do CEAN 606 norte, que é o Centro de Ensino Médio da Asa Norte direto pra UnB, no primeiro vestibular. Passou pra música. Está feliz, né?

Débora: Muito feliz.

Eduardo: Como é que foi a questão da sua educação no CEAN?

Débora: Ah, foi maravilhosa! Eu conheci muita gente legal lá, os professores são ótimos, te incentivando, te ajudando a todo momento pra você estar aqui e ser feliz porque… Gente, é uma experiência maravilhosa, você conhece tantas pessoas diferentes, não só do seu curso, mas por ser grade aberta você conhece gente de contabilidade, gente de letras. É um mundo, é um universo. Tudo depende do aluno e da força de vontade que cada um tem. Depende só de você mesmo.

Eduardo: O Alisson é mais um exemplo de quem estudou numa escola pública, estudou de verdade até passar na UnB. Hoje ele está fazendo educação física. Uma experiência que valeu a pena?

Alisson: Eu tenho gostado muito de estudar na UnB porque é uma oportunidade grande de você crescer, né?

Eduardo: O André Luiz passou pra letras, português, aqui na UnB. Teve uma experiência muito feliz no Centro de Ensino Médio da Asa Norte, escola pública, teve motivação junto aos professores, a outros colegas e está aqui né, feliz da vida.

André: É isso aí. Passar na UnB é uma coisa boa pro ego da gente, né? É uma experiência impagável o sentimento de passar aqui. Muito bom.

Eduardo: Como é que foi o seu ensino no CEAN da 606 norte?

André: Eu contava com o apoio dos professores pra poder conversar, pra poder tirar dúvidas. Eles sempre davam macetes pra vestibular. A professora de química, por exemplo, a disciplina dela é toda em cima do vestibular. Ela dá tudo assim “isso cai no PAS, isso cai no vestibular, prestem bem atenção nisso” etc. E eles trabalhavam muito com a não memorização de fórmulas e sim com o aprendizado. Isso era muito bom. É uma parceria escola-aluno sempre.

Eduardo: E os planos pro futuro?

André: É fazer um curso muito bem feito e me tornar professor universitário e tentar revolucionar esse país por meio da educação.

Outubro de 2010