Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Brasília FestRock 2000 e os bastidores com Bungee Jump

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Tina Vieira: Lá no palco do Fest Rock está rolando Bois de Gerião mas tem muita gente que não quer saber de música, quer saber de adrenalina. Esses malucos vêm aqui para o Bungee Jump. E é com eles que a gente vai conversar agora.
“Já estou com medo antes de pular”
Tina: Por que as pessoas vêm para um show de rock para saltar de uma altura dessas?
“A vontade de pular né? Nunca pulei. Curiosidade.”
Tina: E você é o cara que prepara o pessoal que faz essa loucura, é isso?
“Isso mesmo”
Tina: O que você fica falando para eles aqui nesses momentos?
“A gente só monta mesmo, descontrai um pouquinho.”
Tina: O que descontrai um cara para fazer um salto desses?
“Brincadeirinhas de vez em quando, fala que vai colocar um durex aqui, um durex ali, essas coisas”
Tina: Teve gente que desistiu quando chegou aqui?
“Não, aqui não”
Tina: Desiste ali, né?
“Menos de um por cento das pessoas desistem. É bem tranquilo mesmo”
Tina: Você que é o jump master, o louco que empurra todo mundo lá de cima?
“A gente não empurra, eu convenço. É psicologia boa, psicologia da adrenalina.”
Tina: Você tem um minuto até lá em cima para convencer o cara. O que você fala pra ele?
“Basicamente os esclarecimentos são os seguintes: a gente fala sobre a segurança do equipamento, detalhes de tonelagem, de mosquetões, quanto a corda suporta, quantos saltos, enfim. São as informações básicas que vão transparecer a segurança do equipamento e a gente tenta passar um pouquinho do que a gente sente saltando, que é uma adrenalina. Você tem que saltar para sentir como é.
Tina: Consegue sobreviver a um show de rock depois desse salto aqui?
“O que acontece com o cara que salta de Bungee Jump é que ele se torna um chato nos próximos três dias porque ele fica falando para todos os amigos: “cara, saltei, estou nervoso, você tem que ir lá saltar”. Esse é o comportamento de uma pessoa que salta de Bungee Jump. Mas ele suporta bem, todas as emoções. Quem salta de Bungee Jump suporta qualquer coisa.
“Caramba, é coisa de louco! Mas graças a Deus foi tudo bem, né?”
Tina: Música, Bungee Jump, escalada…
“Eu acho bem interessante, eu acho que é uma galera bem radical que está aqui”
“Esse é um esporte muito bom e aqui é uma oportunidade muito boa de estar escalando. É adrenalina pura.
Tina: Escalar foi fácil, dureza foi essa queda, né? Você veio pro show de rock ou veio para escalar parede?
“Vim pro show de rock”
Tina: E por que você vem escalar parede enquanto o show está rolando lá?
“Ah, porque rola a possibilidade. É muito divertido, vale a pena”

Maio de 2000