Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Cleves Nunes e a raiz do blues da Paraíba ao Texas

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Cleves Nunes:
O resultado final é o Bumba Meu Blues. Os Kings falavam o seguinte: blues não tem nacionalidade. O cara lá no Japão pode cantar blues, o cara aqui no Brasil pode cantar blues. Blues é uma emoção, um sentimento. É tristeza, é alegria.

Eduardo Chauvet: Essa mescla desse tipo de som acaba sendo considerada um blues moderno, mas sem perder as suas raízes.

Cleves: A raiz do blues, lá dos campos de algodão, do interior da Paraíba. Porque eles fazem blues lá.

Eduardo: Qual a diferença do blues da Paraíba para o blues do Texas?

Cleves: É tudo igual. Só muda o instrumento. Porque o lamento, a tristeza, lá tem e lá no Texas também tem. Eu não sou poeta e para fazer blues em português você vai ter que dizer o que você está sentindo, a sua tristeza. Você vai dizer que a sua mulher te traiu. Isso aí fica ruim em português porque vão dizer que você é brega, que você é Reginaldo Rossi. Eu não tenho nada contra eles, mas eu gostaria de ser um Caetano Veloso, um Chico Buarque, Vinícius de Moraes. Mas eu não sou, então eu vou me esconder em inglês. Eu sou um brasileiro fazendo blues em inglês.”

Março de 2003