Dança contemporânea e um poema de Cora Coralina pela leveza do corpo. Movimento…

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Ainda Cruz: a dança contemporânea, eu acho que é um jeito de fazer de uma forma que o seu corpo expresse mais solta, despretensiosa, menos rígida. A dança contemporânea é mais livre. Esse trabalho se chama Cora e ele foi inspirado num poema “A gleba me transfigura” da Cora Coralina. Lendo o poema dela, eu deixei o meu corpo inspirar a poesia. E de uma forma simples como foi a Cora Coralina. E de uma forma simples como cada palavra do poema significa a simplicidade.

Eu venho trazendo simbolismos e meu corpo vem percorrendo esses símbolos de uma forma muito tranqüila. Hoje eu me sinto segura, fazendo coisas, movimentos que saem de mim mesma de uma forma verdadeira segura, de uma forma saborosa.

Rui Moreira: Sem movimento a gente detecta a morte né. Dança é uma maneira muito boa de canalizar e de ler o movimento. É muito visceral a necessidade do dançar. Eu fiz desta expressão, a minha forma de comunicação.
Eu pego muito pra mim aquela história de que um gesto vale mais do que mil palavras.”

Novembro de 2003