Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Elba Ramalho canta Luiz, disco em homenagem a Luiz Gonzaga, o Rei do Baião

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Elba Ramalho, cantora e compositora: Bom, galera, primeiramente eu quero mostrar pra vocês o meu novo disco. ‘Elba Canta Luiz’. É lindo.

Mariana Brasil: Agora a gente conversa com a Elba Ramalho que chega a Brasília e com novidade, material novo, divulgando pelo Brasil, como é que tá?

Elba Ramalho: Eu tô assim com um bolo bem quentinho na mão, acabou de sair do forno. Tô muito apaixonada, é o meu novo filho, é o meu novo projeto. É o que vai empreender e evidenciar todo o meu trabalho nesse ano de 2002 que é esse novo disco que se chama ‘Canta Luiz’. E também tantos anos que eu levei, 21 anos cantando forró por esse mundo e homenagear o rei do Baião, que é Luiz Gonzaga. Como é um disco lindo, festivo, pra cima, eu tô super feliz que ele esteja saindo e que seja uma homenagem ao rei do baião.

Mariana: E como nos outros trabalhos também têm convocações, participações especiais? Ou é um CD só seu?

Elba: É um CD só meu mas ele tem a participação especialíssima de Dominguinhos, que eu considero o maior músico do mundo, tem o próprio Gonzaga, que faz umas firulas, que nós fizemos montagens dele brincando no disco e mais dois cantores nordestinos, que é o Dio e o Fuba.

Mariana: Como é que você vê o público brasiliense? Como você acha que te recebem aqui em Brasília?

Elba: Eu acho que é mesclado. Tem jovens, tem as pessoas mais ou menos do meu tempo, que seguiram a minha carreira e as pessoas mais idosas. Isso é maravilhoso. Nos shows aqui em Brasília sempre tem muita gente jovem, é bacanérrimo isso. Eu sou nordestina. Nós vivemos num país onde a cultura é rica e vasta. Se a gente permitir que ela se extinga da nossa memória, inicialmente, a gente estaria tirando a força maior do Brasil, que é a sua identidade. É o que eu sei fazer, é a minha verdade e ela é imprescindível na minha vida, por isso que eu canto tanto o nordeste, por isso que eu divulgo tanto os novos compositores. Porque eu também tenho um selo. Também tô na vida a 20, 30 anos no palco, eu sei o que é fazer uma carreira, a dificuldade que é.

Março de 2002