Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ensino especial na rede pública do DF trabalha desenvoltura de mente, corpo e equilíbrio

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: A Lígia Maria de Castro é professora há 30 anos aqui no CENEBRAS. Como diretora, desenvolve projetos maravilhosos e com grande envolvimento dos alunos. Realmente uma ação de transformação no dia a dia. É um carinho muito grande. Quais os projetos que vocês desenvolvem hoje aqui?

Lígia: O da capoeira, da horta, da oficina profissionalizante, que é a cozinha experimental. Então a gente tem vários projetos interessantes.

“Todos são especiais, todos tem a sua necessidade e trabalhamos da melhor forma para que todos possam se sentir bem. E o que é melhor pra mim é arrancar deles esse riso. Eles, quando me abraçam, me abraçam de verdade.”

“Eu venho sempre, é legal de gingar, jogar, um bocado de coisa.”

“Trabalha desenvoltura de mente, corpo, equilíbrio. Faz com que o aluno se sinta seguro, tenha mais confiança até no próprio dia a dia”.

Eduardo: é mais um exemplo de projetos de sucesso. Iniciativas positivas da educação pública pra sociedade.

Lígia: Eu sempre falo pros pais que a escola é deles. Porque o nosso objetivo aqui no centro é fazer com que essas crianças sejam felizes. E aqui a gente costuma falar que CENEBRAS é lugar de gente feliz. A gente não aceita cara triste aqui não. Tanto pros alunos como pros familiares também.

“Nós preparamos os alunos para serem inseridos no mercado de trabalho, o qual desenvolve atividades práticas, básicas e de gestão.”

Eduardo Chauvet: Quais os pratos que vocês preparam?

“Bolo, pizza, pão, área de salgados…”

“Lava a mão, depois a massa, o molho, a calabresa, queijo, orégano e comer”.

Lígia: Nós é que somos felizes com essas crianças, porque eles conseguem transmitir pra gente muita alegria, uma lição de vida maravilhosa.

“O que a gente visa é que esses alunos, a partir dessas atividades, desenvolvam neles a capacidade de resolver outros problemas na sociedade e também no seu desempenho escolar. Eles tem a oportunidade de levarem essas produções e hortaliças para casa. Terão o prazer de mostrar pro pai, para a mãe e falar “olha, fui eu que produzi”.

Eduardo: Essa é a ideia desse quadro que se chama “Viva Educação”, uma realização do SINPRO-DF, é levar até você que está aí em casa todos os sábados pautas positivas, exemplos de sucesso de cidadania, identidade cultural, de consciência ambiental aqui no Programa Alternativo.

Maio de 2010