Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Entrevista com Nasi do Ira! que lança seu DVD Acústico MTV em 2004 – parte 3

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: Parando assim pra pensar um pouquinho, olhar pra trás, são 20 anos de estrada, muita coisa aconteceu, várias histórias. Dá um baque? Faria tudo de novo?

Nasi: Faria tudo de novo sem dúvida nenhuma. Hoje nós estamos colhendo muito o fruto de uma carreira que eu acho que a gente levou com bastante idealismo, com bastante amor à música. Às vezes, nadando contra a maré, enfrentando momentos de baixa. Eu acho que o Ira! hoje conseguiu o respeito do público e é muito bom estar vendo que cada vez mais estou caminhando para a 3ª geração de fãs. Eu vejo garotos que são mais novos que a própria idade da banda. O importante de você perseverar, como diz ‘Dias de Luta’, é passar por cima de tudo, né, “O que cantarei depois”… Estou aqui cantando. Mais um projeto, mais um disco.

Eduardo: Uma das principais características da banda Ira! é que vocês são muito fiéis, o estilo musical de vocês é independente do que está sendo tocado nas rádios, o que está sendo exposto na mídia. Você acha que esse realmente é um caminho, a fidelidade, aquilo que vocês acreditam, acreditar num sonho e correr atrás?

Nasi: Eu acho que é isso aí. Eu acho que essa é uma marca do rock. O rock tem um significado pra juventude de idealismo, de romantismo nesse sentido de liberdade, de conquista. Eu acho que é isso que a gente gosta de passar para os jovens que estão aí numa garagem, montando uma banda. Eles têm que acreditar que nesse instante eles estão montando a banda mais importante do mundo. Sinceramente, eu gosto muito de gravar em estúdio, mas eu gosto mesmo é de subir no palco e mostrar sempre um trabalho novo para as pessoas. Principalmente quando eu estou em turnê e estou mostrando um disco que estou lançando. O prazer de encontrar uma galera que acabou de conhecer um disco novo meu e está lá, cantando músicas novas. Isso pra mim, é indescritível. Eu sou viciado nisso.

Agosto de 2004