Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Federico Felini, um gênio do cinema mundial, em exposição pelo Brasil

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

“Frederico Fellini foi um dos mais importantes cineastas porque ele rompeu com muitas coisas, rompeu com a linguagem cinematográfica. As pessoas à época de Fellini estavam acostumadas com aquele filme certinho que tinha mocinho, que tinha bandido, que você sabia para quem você estava torcendo quando você ia ao cinema. E o Fellini rompeu com tudo isso. Mistura realidade, mistura ficção, mistura ilusão e mistura também a vida das pessoas mais humildes bastante interessantes, com motivos de reflexão.

O Fellini tinha uma ligação muito forte com o circo desde muito pequeno. Tem uma história que aos 7 anos o pai dele levou ele ao circo e ele se encantou, ficou assustadíssimo com os palhaços, ele não sabia se eram espíritos ou se eram brincadeiras. Tem até um certo folclore que ele teria fugido com o circo e o pai o teria encontrado 3 dias depois em outra cidade. Mas o que permanece é que ele usou muito a linguagem e que ele associava o cinema à linguagem do circo. O cinema teria sido a arte que mais se aproximou do circo como tendo uma técnica super apurada, mas também se aproveitando da improvisação em prol de uma boa cena.

A exposição traz fotografias, tem fotografias originais e reproduções. Tem fotos originais de artistas e profissionais que trabalharam com Fellini. Tem reproduções dos desenhos que o Fellini fazia, porque ele começou como caricaturista. Quando ele pensava em um filme, ele pensava no personagem primeiro, e desenhava esse personagem. Depois que ele ia buscar o ator ou a atriz que se encaixava naquele desenho. Também temos livros, revistas, quadrinhos, a trilha sonora do Nino Rota, que é um profissional que sempre esteve junto com o Fellini nas produções, alguns bonecos de marionetes que fazem essa ligação do circo com os personagens e os cartazes de 20 filmes.”

Julho de 2005.