Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Festival Teatro na Escola da Fundação Athos Bulcão, um espaço para o jovem

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Verônica Maia, coordenadora geral do projeto:
Esse é o projeto “Festival de Teatro na Escola” realizado pela Fundação Athos Bulcão. Ele tem dois segmentos. Esse primeiro, o ciclo de dramaturgia e, em novembro, 12 montagens teatrais realizadas com estudantes e professores de artes cênicas da rede pública de ensino de Brasília.

Ricardo César, ator e diretor de teatro:
E nós estávamos querendo um texto legal, que falasse a linguagem dos meninos, dos jovens.

Giovanna Quaglia, diretora e autora:
O Shake Shake Boom Boom é um texto que eu escrevi. E o objetivo do texto é a prevenção ao uso de drogas. Mas ele aborda delinquência, delinquência juvenil, sonhos dos jovens, o contexto da amizade. Eu vejo como um resgate de cidadania, então, é você estar trabalhando com escolas que estão ao redor do plano.

Verônica Maia:
São escolas do Paranoá, do Recanto das Emas, do Cruzeiro, de Samambaia, Planaltina.

Giovanna Quaglia:
Estamos trabalhando com o jovem, fazendo eles resgatarem a dramaturgia nacional, que é muito jogada fora, mesmo pelo teatro profissional.

Diogo de Sá, estudante:
A mensagem desse texto é bem realista.

Maira Melina, estudante:
É um texto bem legal porque é do jovem para o jovem.

Adelane Godoi, estudante:
O principal de tudo é a leitura. É uma nova experiência, tem que estar ali sentado, tem que ler, não usa tanto o corpo. Você tem que passar a sua emoção na voz.

Verônica Maia:
E esse que é o grande motivo do projeto e do trabalho da Fundação Athos Bulcão com a juventude. Dar espaço para o jovem, para que ele possa colocar as suas ideias, para que ele possa desenvolver uma visão de mundo. No teatro, você está aprendendo a falar, está aprendendo a ler, está aprendendo a ver a posição do outro, você está disposto a fazer um trabalho de equipe. Isso ajuda as pessoas a desenvolverem um raciocínio, a se colocarem melhor. Agora, quando dá certo, quando a gente aparece na televisão, todo mundo adora e bate palma. Agora quando alguém fala lá na escola “vamos fazer teatro?” A primeira reação é dizer “não, isso aí é feio, isso não é legal, isso não é importante”. E não é nada disso. É uma grande possibilidade de desenvolver muitas capacidades e habilidades. Além de reunir literatura, música, artes plásticas. E também ajuda a interdisciplinaridade na escola.

Adelane Godoi:
Blá, blá, blá, falar, falar eu acho que não ajuda muito. Entra por um ouvido e sai no outro. Agora, quando você assiste, quando é realmente uma coisa bem encenada, uma coisa bacana, através de um personagem com quem você se identifique, de repente, você vê o que ele sofre, que ele pode na realidade sofrer com a sua escolha. Então você pensa muito mais, você reflete muito mais.

Maira Melina:
Adorei, eu vou querer sempre, agora.

Adelane Godoi:
O teatro, se o governo, todas as pessoas dessem mais importância, fossem assistir, eu acho que nós teríamos um país bem melhor. Eu acho que ajuda muito.”

Novembro de 2001