Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Legião Urbana Especial parte 3

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

“Eu gosto de Renato Russo porque a música ‘Monte Castelo’ fez parte da minha vida quando eu conheci a minha esposa. E o convite do meu casamento foi um CD com essa música e outras músicas do Renato Russo. Eu admiro muito, gosto muito por ser de Brasília.”

“Nunca a galera vai esquecer, por mais que seja, onde ele estiver. A gente sempre relembra. Eu mesmo sou um dos fãs dele. Curto muito as músicas dele, principalmente aquela ‘Faroeste Caboclo’.”

“Eu acho que é peculiar dele fazer essa coisa deprê para você ouvir e ficar “pô, velho! que bacana assim” Às vezes, eu passei por aqui… às vezes são várias músicas né! Às vezes assim, concilia com a nossa vida! Coisas assim!”

“Legião Urbana influenciou muito. Caracterizou Brasília. A música que eu mais gosto dele acho que é ‘Geração Coca Cola’.”

Pô, eu gosto de Legião Urbana porque é uma banda que disse o que a juventude queria ouvir. Eu gosto da música ‘Pais e filhos’ porque eu me identifico muito com ela e me identifiquei muito aos 15 anos.

Marcelo Amaral, empresário e produtor: Eu acho que o Renato conseguiu falar nas suas letras o cotidiano da juventude. Hoje em dia tem muito a ver o que ele fala nas letras. Meu filho e os filhos dos meus amigos escutam Legião Urbana. Graças a Deus as rádios mantém Renato vivo com as suas canções. E falam muito sobre a juventude, sobre os problemas dos jovens, sobre as soluções. Eu acho que o Renato marcou muito.

Carmem Manfredini, irmã de Renato Russo: A característica principal dele é a atemporalidade. Ele fala de diversos temas desde amor, problemas dos jovens, de política, de problemas urbanos, sociais. Eu acho que tudo isso passa por várias gerações e já tem avós jovens mostrando a obra do Renato para os jovens netos e que também já fizeram isso para os próprios filhos. Acho bem legal, acho que está passando para todo mundo.

Carlos Marcelo, Correio Braziliense: Não é surpresa para ninguém a gente ouvir, num domingo à noite, no silêncio de Brasília, no silêncio do Plano Piloto, um jovem ensaiando na sala de sua própria casa ou do seu apartamento. Você ouve aquele barulho do rock rasgando o silêncio brasiliense. Foi isso que Renato e sua geração fizeram nos anos 70. É isso que continua acontecendo. Talvez por isso a obra da Legião e do Renato continuem tão atual.

Renato Russo: “Eu acho bacana quando as crianças gostam, jovens gostam, os adultos gostam, as pessoas maduras gostam, entendem e respeitam. De repente isso é o elo de ligação”

Kiko Péres, guitarrista do Natiruts: O Legião Urbana foi a banda que realmente foi uma das mais significativas do rock dos anos 80 e o Renato Russo foi o compositor que conseguiu, através de sua música, suas letras, sintetizar todo o sentimento de uma geração.

Indiana, cantora: Para mim, sem dúvida ele é o maior poeta do mundo, do Brasil. É aquela coisa de você se identificar piamente com a vida, com a vivência que ele está tendo naquele momento. Aquilo que te faz refletir até sobre óticas que você não tinha, nunca parou para pensar e de repente ele dá um estalo na tua mente com as poesias dele e você fala “caramba!”. E aí você passa a repensar tua vida inteira, como você vai gostar dos outros, como você vai se relacionar no mundo. E isso para mim é, sem dúvida o maior dos presentes que ele deixou para a gente.”

Maio de 2005