Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Oficina de reciclagem e reutilização na rede pública de ensino do DF

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: O que nós da chamada sociedade moderna temos feito com o meio ambiente dispensa comentários. Por exemplo: a produção de refrigerante que vem numa garrafa pet como essa: o que isso causa ao meio ambiente, para os próximos anos, para os próximos séculos? Quando a gente vai ao supermercado comprar uma simples fruta lá vem uma bandeja de isopor. Isso acontece com queijo, com a fruta, com vários alimentos. São latas, vidros, plásticos. A gente pode, com a criatividade, fazer com que certos materiais que iam pra um lixo tradicional, como essa garrafa pet que está aqui, possam se transformar em belíssimas peças de artesanato. Pra isso, a gente precisa de técnicas de reciclagem e reutilização.

É um projeto onde nós fazemos a coleta seletiva, né? Então todos os resíduos, todo o material descartado pela comunidade, nós trazemos pra cá. Aqui, nós lavamos, higienizamos e começamos a produção desse material. Na parte pedagógica nós produzimos jogos, brinquedos educativos e todo esse material utilizado pelas crianças em sala de aula. Isso aqui seria um vai e vem. Tampinhas de refrigerante, aqui a tampinha do amaciante de roupa. E com os pais a gente faz toda essa parte de acessórios, objetos, utilidades decorativas.

Eduardo: Gosta da oficina?

Gosto.

Eduardo: O que você está fazendo aí?

Fazendo uma boneca.

Eduardo: E o que você já aprendeu nessa oficina?

De tudo um pouco. Tudo a gente aprende um pouco.

Isopor, que seria de carne, laticínios, né? Ela foi transformada num porta-retrato. Essa latinha aqui que seria uma marca de extrato de tomate foi transformada em um acessório.

Eduardo: Olha, isso aqui é um porta-treco.

Descanso pro prato feito com jornal.

Eduardo: pra não queimar a mesa?

Isso. Isso aqui seria um porta agulhas também feito de garrafa.

Eduardo: O que é que nós temos revestindo essa garrafa tetra pak? São filtros de papel que foram utilizados pra passar o café. A gente toma aquele café gostoso, joga o filtro no lixo… Se a gente for parar pra pensar são poucas as coisas que a gente precisa levar pro lixo. Não nada, mas são poucas as coisas. Esse chapéu aqui é uma bela peça, é uma bela obra de arte. Olha só que barato. Ele foi completamente construído com filtro de papel depois de passar o café.

Depois que a gente utiliza o coador de café, a gente tira, deixa secar, só tira o pozinho, rasga e aí você usa as mais variadas técnicas. Que seriam aqui a técnica da decupagem. Fazemos a decupagem em vários objetos como garrafas, móveis.

Eduardo: pano, cola, tecido…

Cola, papéis, jornais, revistas, barbantes…

Eduardo: Está aberto a toda a comunidade. Quem quiser aprender a manusear, a criar, a pintar, a transformar, está aqui. Gratuito, aberto para as pessoas poderem vir até aqui?

Sim, com o maior prazer. E aqui a gente vai começar todo esse processo de reutilização, de reaproveitamento que na verdade nada mais é do que uma arte-terapia.

Eduardo: É isso. A gente fica por aqui com mais uma pauta positiva da educação pública do DF. Este é o quadro Viva Educação do SINPRO-DF. A nossa ideia é percorrer as escolas públicas do DF e levar até você pautas positivas, iniciativas de sucesso que transformam a nossa vida pra melhor.

Fevereiro de 2011