Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Oficina dos Menestréis em Sketches com Deto Montenegro

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

“Sketches’, na gíria do teatro, quer dizer ‘quadros’. A oficina tem um treinamento de duas vezes por semana, são duas horas por dia de aula. A gente faz um treinamento em cima do teatro musical. O teatro que a gente trabalha é um estilo meio da época em que eu fazia muito musical com o Oswaldo (Montenegro). A gente trabalhava muito a coisa da intuição, da percepção do aluno, de aflorar um lado mais intuitivo do artista e foi uma coisa muito legal que, de 87 pra cá, eu transformei em curso. Antes era uma coisa mais usada pra artista, hoje uso pra qualquer aluno de qualquer área que queira trabalhar com seu lado artístico, digamos assim.

“Essa é a ideia, essa é a proposta do método ‘oficina’. Um tempo de treinamento de seis a dez meses, varia de acordo com o curso, e sempre uma montagem no final. A gente passa por um período de aula, de exercício, onde procuro não falar de espetáculo com a galera pra eles primeiro ganharem um chão, uma identidade, um estilo e uma personalidade, uma canja, uma manha de palco. E aí depois do quarto mês a gente começa a fazer um laboratório, umas experiências, e dessas experiências nasce o espetáculo musical do final de cada curso.

“A gente procura sempre de uma turma pra outra estar convidando, reciclando, trazendo gente nova e abrindo sempre uma porta pros valores novos de Brasília. Tem gente aqui que já é do meio, que já trabalha com isso, e tem gente que nunca trabalhou e tá querendo ver como é e a oficina oferece essa oportunidade da pessoa chegar e conhecer um pouquinho do mundo artístico.

“O Sketches é uma ideia minha de falar de quadros porque eu sempre gostei dessa coisa meio solta, meio despretensiosa no bom sentido, meio entretenimento. Aquela coisa de você sentar e não ter uma história pra seguir, que você sente e se divirta, que você seja atingido por cenas bonitas, engraçadas, belas ou charmosas.

“Junto com eles a gente assumiu, ‘vamos fazer um negócio só de quadros’, e a galera aí trouxe muita ideia legal porque na fase de laboratório eu procuro estimular esse lado de criatividade deles. Então eles mesmos trazem ideias ótimas, tem cenas aqui que são deles.”

“Existe a participação deles também no espetáculo final?”

“Também na criação. Eu dou o jeitão, o esqueleto, mais ou menos como eu imagino, como eu quero, e eles vão ajudando também com a participação deles não só como intérpretes mas também um pouco como criadores dessa cena. Acho legal porque o espetáculo fica com a cara da galera, com a nossa cara.

“A gente procura então com esses quadros costura-los por apenas um fio de emoção. Não tem uma história, mas se na cena anterior a gente falou de sensualidade, que apresente-se agora uma cena sensual para que tenha esse fio de emoção conduzindo.”

“Vira uma família, porque o pessoal aqui tá junto há praticamente oito meses. Oito meses juntos, se vendo sempre e tratando de uma coisa que é sentimento, vida, pulsação, emoção. ‘Vamos lá todo mundo embarcar nesse feeling, nesse timing’ e um barco só pra ir todo mundo junto e isso é muito legal, respeitando a individualidade de cada um.

“Eu tive a oportunidade de estar aqui com esse pessoal muito legal trabalhando em conjunto e eu desenvolvo um trabalho de composição onde estou começando a compor textos e músicas já há algum tempo. Trabalho com teatro aqui em Brasília, sou estudante de teatro, estou aí nesse rumo de querer profissionalizar e viver disso.

“Dentro da peça foi muito saboroso porque a gente fica muito aberto pra mostrar coisas do seu universo. É muito importante trabalhar com o que é seu, com o que é próximo da sua realidade. Não querer ser outro, ser você, e nesse espaço fiquei muito à vontade pra criar pequenos textos, fazer algumas composições musicais numa forma descontraída, como rola o espetáculo. Uma forma bem jovem, bem alegre, bem moçada.”

“É sempre um prazer muito grande poder trabalhar com o Deto, que é uma pessoa que desde que eu fiz a oficina sempre incentivou esse meu lado musical, que é o que trabalho aqui em Brasília, e foi uma surpresa maravilhosa ele ter me chamado agora. Já estou entrando agora no oitavo mês (de gravidez), pra fazer essa participação cantando de barriga de fora e tudo.”

Março de 2000