Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Rádio produzido por alunos especiais da rede pública de ensino do DF

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: O Mauro Dummont é um dos idealizadores de um projeto que faz com que a rádio aconteça na vida de alunos especiais aqui do Centro de Ensino Especial 01 de Brasília, 912 sul, e com a mão na massa. Os alunos aprendem a produzir o programa, apresentar, tem locução, tem música, tem os informativos de utilidade pública… Como surgiu a ideia, a iniciativa de se ter um projeto como esse aqui na escola?

Mauro: A partir da informática, do uso do rádio, da televisão, vídeo e da internet, nós resolvemos fazer um programa de rádio em que o aluno possa se expressar. É uma coisa da criatividade deles, do folclore, uma coisa da família, da vida, né?

Eduardo: Ele entra no carro do pai e ouve a rádio. Ele vai na escola, ele ouve a rádio, ele vai num shopping, ele ouve uma rádio. E de repente ele percebe que ele pode fazer parte do processo construtivo, de criação?

Mauro: E também passam a dar melhor recados, a entender melhor mensagens transmitidas no rádio, na televisão e outros meios de comunicação. Nós trabalhamos com condutas típicas, com deficiência múltipla, deficiência física, deficiência intelectual e diversas síndromes. Aqui é um Centro de Ensino Especial. Trabalhamos com todos os tipos de alunos.

“A gente vai atrás do que pode, do que tem acesso, tenta comprar, tenta trazer. E eles também, eles contribuem. Às vezes eles vão na ‘Feira dos Importados’, compram alguma coisa, gostam muito de música, compram CDs e fazem os pedidos musicais, dos gostos musicais deles”.

São aproximadamente 300 alunos, 90 professores, no ensino complementar. O rádio, a comunicação como um todo integra, né?

Mauro: Com certeza, integra e a gente pretende nos intervalos colocar no serviço de auto falante da escola para ser transmitido para todos.

Eduardo: O interessante é que é rádio com conteúdo, inclusive dicas de saúde, qualidade de vida…

Mauro: Isso, trânsito, ações do dia a dia…

Eduardo: E o resultado? O que você percebe na evolução do aluno.

Mauro: Primeiro ele chega tímido. Daqui a pouco, ele começa a se soltar, vai melhorando a comunicação. A gente só dá uma vazão para ele trabalhar.

“É um trabalho social também. Muito gratificante, muito recompensador. Eles são muito carinhosos, muito sinceros e nos ensinam muito. Com certeza nós aprendemos muito com o ensino especial.”

Janeiro de 2011