Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Regata 24 horas no Lago Paranoá

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Dirceu Lobo, Idealizador da Regata: Regata 24 horas no Lago Paranoá é uma regata pra nós criarmos a condição de uma travessia oceânica aqui em Brasília. Criarmos um enduro. Como nós temos um lago que é limitado, não podemos fazer uma regata Rio-Santos. Nós temos que fazer uma regata Clube da Aeronáutica – Cota Mil, que são 8 milhas, é muito pequeno. Então não temos uma regata de longa duração.

Criamos há 12 anos atrás essa regata. Toda regata tem o percurso definido e vence aquele que fizer em menos tempo. Essa regata nós temos um tempo definido e vence aquele que fizer o maior percurso. Os barcos nesse período todo não podem atracar, não pode trocar tripulação, não pode receber mantimentos, não pode fazer nada. Se fizer, é desclassificado. Ele larga do meio dia, com vento ou sem vento, no sábado. E chega ao meio dia, com vento ou sem vento, no domingo.

Eduardo Chauvet: Depois de 24 horas dessa maratona aquática, nós podemos conhecer os vencedores. O que faz a diferença numa hora dessa? É a estratégia, condições climáticas ou toda uma série de fatores que vocês conseguem levar adiante pra poder vencer uma regata como essa?

Roberto Renner. É exatamente uma série de fatores porque os ventos foram favoráveis para uma equipe experiente. Houve um entrosamento e nós conseguimos sucesso e conseguimos a vitória.

Eduardo: Essa é uma equipe de velejadores experientes mesmo. O Felipe é bicampeão na classe Europa, bicampeão brasileiro da classe Europa. Como é que é participar da regata aqui em Brasília? Você é de Brasília?

Felipe Meira: Sou de Brasília. Participar aqui dessa regata é ótimo. Principalmente porque é outro tipo de regata. Testa mais resistência, cansaço, frio, todas as condições de vento, 24 horas velejando. Apesar de ser no lago são condições muito difíceis.

Eduardo: Nem só de glória vivem os velejadores numa regata como essa. Esses aqui tem várias histórias pra contar de uma madrugada que choveu muito, né?

José Carlos: Essa deve ter sido, sem dúvida, as 24 horas que tivemos mais chuva. O problema é você ter que dividir um barco que se assemelharia a um quarto de 3×4 com 5 homens, cada um com uma mania bem diferente.

Mazinho: A gente tem vontade de ficar 48 horas, 72 horas.

Maurício: Pelo amor de Deus. Estão falando isso mas os dois dormiram a madrugada inteira. Quem ficou na chuva ali fui eu. (risos)

Mazinho: Eu cantei, eu tava cantando. Fazendo backing vocal. (risos)

Maurício: Era um roncando de um lado, o outro respondendo do outro. (risos)

Alexandre: Muita diversão. Não, beijo na boca foi contigo. Não me compromete não porque se minha mulher vê um negócio desse e eu tô frito. (risos)

José Carlos: Apesar do nosso barco não ser competitivo, nós viemos mais para fazer um passeio de 24 horas.

Eduardo: As mulheres também marcam presença na Regata 24 horas no Lago Paranoá. Elas foram as únicas que completaram sem muitos problemas. Deu tudo certo?

Olímpia: É… Muito frio. Muita curtição mas muito frio. Mas deu pra gente completar sim.

Iara: O barco da gente, por exemplo, é um barco – embora seja cabinado – é um barco que não tem toilette, é um barco pequeno.

Eduardo: Se não tem toilette como vocês fazem?

Iara: A gente se vira. Tem os segredos, né?

Eduardo: Os barcos velejaram em média 135 milhas náuticas, aproximadamente 211km em águas abrigadas.

Dirceu: Nós pensamos em tornar essa, uma regata a nível nacional, no calendário nacional. E quem sabe inscrever no Guiness, por ser uma regata totalmente diferente das regatas tradicionais.

Junho de 2001