Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Sala de recursos para inclusão dos alunos especiais em Sobradinho-DF

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: A professora Aira trabalha aqui no Centro de Ensino Fundamental 01 de Sobradinho, na sala de recursos, especializados no atendimento de alunos com necessidades especiais, com deficiência. Como trabalhar essa inserção, essa inclusão?

Aira: Não é uma tarefa muito fácil. Nós viemos de uma geração que não estava acostumada a lidar com a pessoa com deficiência. Essas pessoas estavam o tempo todo dentro de casa, nos centros de ensino especiais e hoje elas estão dentro da escola regular. O que eu acho bacana é que isso trouxe pra dentro da escola um novo olhar pro aluno. Não só pro aluno com necessidades especiais, mas pra todos os alunos.

Então qual é o nosso papel em sala de recurso? Conseguir visualizar isso através desse contato individual e tentar fazer com que o professor elabore essas questões dentro da sala de aula pra facilitar a aprendizagem dele num conjunto, num todo.

“O dia a dia aqui na escola é muito difícil porque quando eu tenho educação física lá em cima, eu não posso subir. Tem dia que é aula livre, aí eu fico lá embaixo.”

Aira: O atendimento na sala de recurso é um atendimento especializado. A gente dá um suporte para o aluno, para o professor, para a família. Paralelamente a isso, a gente vai nas coordenações, a gente tem um espaço, uma liberdade de estar trazendo essas discussões para o professor.

É uma questão de fazer diferente mas que está todo mundo querendo aprender e ele também tem esse direito.

Aira: Há bem pouco tempo atrás todos os alunos com deficiência intelectual, com deficiências múltiplas, os mais comprometidos eles ficavam todos no centro de ensino. Então esses alunos foram pra escola regular. Hoje no DF, nós temos ainda os centros de ensino. Acho que ele ainda é muito necessário. A escola ainda talvez precise caminhar muito pra atender todos. Fora o ensino especial, a gente ainda tem dentro de algumas escolas regulares as classes especiais, que também são pra esses alunos que ainda tem um comprometimento maior, que não dá pra ficar ainda numa sala no regular, então eles ficam nessas salas de ensino especial. Eu acho que o aluno hoje, o que ele quer é fazer parte da comunidade escolar. O aluno não quer se sentir excluído. Então esse olhar diferente do professor, às vezes é mais importante do que o preparo.

O que a gente enfoca na sala de recursos? O potencial do aluno. Pra gente tirar um pouquinho a ideia de que o aluno tem dificuldade. Pouco a pouco se a gente conseguir que 1 reflita sobre isso, a gente já está dando um passo adiante.

Aira: A gente está caminhando pra uma sociedade mais justa e eu acho que isso foi possível com a entrada desses alunos dentro da escola.

Novembro de 2010