Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Slug lança CD Not For Sale. Heavy Metal

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

“A gente começou aqui em Brasília, de 92 para 93. A gente começou fazendo festivais locais mesmo, festival da UnB, e de lá para cá a gente tem tido uma repercussão boa. Isso foi encorajando a gente a continuar tocando. E aí foram vindo os discos, os shows aqui no Brasil e fora do Brasil. A gente está nessa balada até hoje.

A gente é uma banda de rock pesado. A gente foi influenciado pelas bandas dos anos 70 e 80, principalmente de heavy metal.

O heavy metal é um estilo de música bem divulgado no mundo, tem muita gente que gosta. No Brasil também. Em Brasília não é diferente. Tem muitos roqueiros aqui na cidade de preto, você vê em todos os lugares, é excelente. Nosso público é sempre cativo, é um público fiel. Quem gosta desse estilo de música está sempre presente nos shows, é maravilhoso.

Estamos lançando o nosso terceiro disco “Not For Sale”.
Não é simplesmente mais um disco da gente. O objetivo não era só fazer um grande disco que todo mundo gostasse, mas principalmente que todo mundo respeitasse. Não só quem é fã, mas também todo mundo que está nesse meio. Os músicos, os produtores, as gravadoras. Então eu poderia dizer que o cartão de visitas definitivo do Slug é o “Not For Sale”.

As letras são em inglês. Desde o início a gente é influenciado por bandas de fora. E a proposta também é conquistar o mercado lá fora. As letras falam sobre experiências bem pessoais de cada um de nós. A gente junta tudo isso e faz as letras.

O mercado lá fora respeita esse tipo de som que a gente faz. Existe um orçamento das gravadoras destinado só para esse tipo de música. Então lá a coisa é levada bem a sério. A gente pretendo tocar lá fora e continuar fazendo nossa carreira como músicos.

A gente vê 99% das bandas falando que é um sacrifício, uma batalha muito grande. E eu tenho para te dizer que a gente faz o que a gente gosta, então não é sacrifício nenhum. É um grande prazer. Eu te diria que temos outras profissões além da música, mas eu diria que as nossas profissões são hobby e a música é a nossa verdadeira profissão.”

Setembro de 2005