Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

‘Wakesurf’ no Lago Paranoá em Brasília

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Eduardo Chauvet: A nossa conversa agora é sobre o surf no Lago Paranoá. É verdade, existem surfistas no Lago Paranoá como o Doni, praticante do surf aqui do lago há quanto tempo?

Eu moro aqui tem 3 anos, mas eu comecei a praticar tem 2 anos.

Você aprendeu a surfar no lago ou no mar?

Foi no mar. Eu vim do Rio de Janeiro. Não tem mar né, a gente quebra o galho no lago. O wakesurf foi como se fosse uma fuga pra sentir aquela mesma sensação que sente no mar.

Quantos praticantes do surf no Lago Paranoá a gente tem hoje aqui em Brasília?

10 praticantes que surfam sem corda.

O interessante é isso. Vocês não precisam de uma corda amarrada ao barco, vocês conseguem um fluxo na água que mantém o movimento?

É, a gente surfa com a ajuda da marola. Quanto mais o barco afundar a marola é maior. Então a gente usa um barco com motor de centro, que não é um motor de poupa, que ele já afunda ele por inteiro e põe coisa atrás, que a gente pode usar galão, galão de água ou pessoas mesmo, dependendo da lancha faz até 1 metro de marola que a gente fica uns 10, 15 minutos surfando.

É um esporte que surgiu onde? Na Califórnia, é isso?

Isso, foi na Califórnia, o surf foi na Califórnia.

São aproximadamente 10 praticantes do wakesurf aqui no Lago Paranoá, mas surfistas em Brasília o número é bem maior. Inclusive, eles se organizam anualmente pra fazer o Campeonato Brasiliense de Surf em Santa Catarina. Há quanto tempo existe o Movimento dos Sem Praia aqui em Brasília?

A galera criou isso aí pra gente se identificar, aquela galera que mora aqui, que não é daqui, tudo surfista né. Criamos o movimento que já tem mais ou menos uns 5 anos.

Na praia, a gente não só costuma praticar o surf, tem o windsurf… Quer dizer, muitos desses esportes tem sido praticados cada vez mais aqui em Brasília, aqui no Lago né?

Tem. Um dos esportes que eu achei que cresceu muito foi o wakeboard, cada vez tem mais praticantes, a galera está gostando.

Luiz Fellipe Carvalho: Brasília com certeza fica entre os 3 primeiros melhores picos do Brasil pra andar de wake. Pelo fácil acesso e porque aqui é show, é sol o ano inteiro.

Valberto Júnior: As condições, o lago liso… Brasília é o ‘Hawai do Wake’.

Qual é o maior prazer que você tem na prática do surf?

Desde muito tempo que eu surfo, então eu vim pra cá e fiquei naquela ânsia. Só quem surfa sabe como é ruim ficar sem surfar. E a gente descobriu isso aqui e a gente não vai deixar isso morrer tão cedo. Isso aí é a nossa diversão, é o nosso surf. Isso aqui é a nossa praia. Quem quiser curtir é só vir aqui que vai poder ver a gente fazendo surf no lago.

Tudo isso acontece aqui no Pontão do Lago Sul.

Março de 2005