Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ziraldo com o ‘menino maluquinho’ e a ‘professora maluquinha’ em 2002

profile

Memórias do Brasil

Descrição:

Mariana Brasil: O Ziraldo, como muita gente já sabe, está sempre envolvido em vários projetos. Mas nunca deixa de dar atenção especial para um assunto que também é muito importante: educação infantil. Antes o ‘menino era maluquinho’, agora como se não bastasse, a professora também é, que história é essa?

Ziraldo: sabe o que foi? De tanto que as professoras me pediam pra poder contar uma história da professora maluquinha também. Eu comecei a contar o caso da Catarina, que é uma professora que eu tinha, que era muito maluca e que é a professora que inspirou a personagem do livro.

Há uma ansiedade muito grande para que a escola brasileira acompanhe os progressos do mundo no que diz respeito, tipo de convivência, tipo de vida que tem que enfrentar hoje. A escola tem que se modernizar, não tem que ficar parada no tempo como esteve sempre. Então, a professora muito maluquinha acaba propondo isso, uma outra maneira de encarar o seu aluno. Outra maneira de você conviver com seu aluno. Outra maneira de você preparar o seu aluno para a informação.

A escola primária não deve ser informativa, ela tem que ser formativa, tem que formar a criança para o conhecimento e não entupir a criança de conhecimento. Tudo tem seu tempo certo. Cada criança é diferente uma da outra. Se você vai ensinar a mesma coisa igual pra todas as crianças, já está errado.

O Ministério da Educação vai entregar alguns milhões de exemplares do livro para as crianças levarem pra casa. Porque eu também acho que a leitura tem que ser compartilhada, a mãe tem que ler com o filho, a professora tem que ler com o filho. Então o Ministério, acreditando nisso, está dando o livro para a criança levar o livro pra casa. “Mãe, vem ler o livro comigo”.

Eu não sou companheiro, eu não estou por aí fazendo campanha, mas não tem outro jeito porque como eu tenho espaço pra poder falar, eu aproveito e falo. Então acabou virando uma espécie de missão, mas Deus me livre que seja, sabe? Eu quero é que o Brasil.. deixar para os netos da gente, o Brasil que eles prometeram que ia ser, o Brasil do Terceiro Milênio. E ele só vai ser, se tiver uma população esclarecida.

Abril de 2002